Coordenadora Paraguaia de Comércio Justo se posiciona frente ao Governo Nacional

A fim de discutir a situação e a perspectiva da cana de açúcar no Paraguai e desenvolver uma estratégia participativa de planejamento para o uso dos recursos disponíveis e aumentar a produção de cana de açúcar no país; a Coordenadora Paraguaia participou da audiência pública organizada pela Comissão da Agricultura e Pecuária da Câmara dos Deputados e o Ministério da Agricultura e Pecuária, daquele país.

Diego Cabral, representante dos Associados de Cana de Açúcar Orgânica CORA, considera que essa cana é extremamente importante na agricultura familiar, uma vez que gera empregos para mais de 10 mil produtores de forma direta.  “Falamos, aproximadamente, de 50 mil pessoas beneficiadas diretamente com a cana de açúcar”, disse.

O coordenador apresentou a situação completa à Câmara de Deputados, informação esta que foi trabalhada em coordenação com as organizações do Paraguai Orgânico e a Câmara Paraguaia de Produtores Orgânicos (CPROA). Um dos apresentadores, Andrés González, representante da Cooperativa e Indústria Açucareira Manduvirá, enfatizou a importância do açúcar como produto de exportação paraguaia. “O Paraguai ocupa o primeiro lugar como país produtor e exportador e tem uma presença destacada nos melhores mercados do mundo, graças ao açúcar orgânico, que é um produto saudável que fala de respeito e cuidado com o meio ambiente,” disse ele.

No final, foi formado o Comité Interinstitucional do Trabalho do Setor de Cana de Açúcar, constituído por instituições do estado e a Coordenadora Paraguaia de Comércio Justo, bem como representantes do setor industrial e produtores de outras organizações de cana-de-açúcar no Paraguai.

De acordo com os dados da última pesquisa da CLAC, no Paraguai existem 13 organizações de pequenos produtores de cana de açúcar certificados pelo Comércio Justo. Para uma visão geral do açúcar na América Latina e no Caribe, nós convidamos você a consultar o nosso  Infográfico de açúcar