Em abril de 2015 foi formalmente criada a Rede de Trabalhadores e Trabalhadoras. Esta rede é composta por funcionários (as) de plantações certificadas Fairtrade existentes na América Latina e no Caribe, que produzem bananas, vinho, frutas e flores. Sua missão é alcançar um empoderamento através da coordenação e representação, permitindo que sua voz seja ouvida no Sistema de Comércio Justo e assim participar mais ativamente no processo de tomada de decisão.

A Rede tem como objetivos: construir e consolidar a Rede de Trabalhadores – CLAC; promover e divulgar os princípios, valores e impacto do Comércio Justo relacionados com os/as trabalhadores/as e influenciar através da CLAC nas políticas e estratégias do Comércio Justo.

Para a coordenação no âmbito da rede foi formada uma Comissão que visa coordenar a Rede a nível internacional, isto é composto por dois funcionários da região Andina, dois para a América Central e Caribe e dois da América do Sul. Esta Comissão é responsável pela coordenação da comunicação com as Comissões Nacionais de Trabalhadores, que mantêm  a comunicação e o dialogo com os trabalhadores sobre questões relacionadas com o Comércio Justo.

Para a Assembleia Geral da CLAC de novembro de 2015, foi a primeira vez que os Comitês Nacionais dos Trabalhadores escolheu os delegados e delegadas por país das organizações dos trabalhadores, em seguida, escolheram um representante para o Conselho de Diretores da CLAC.