As organizações de produtores também estão articuladas em Redes de Produto, através das quais se reúnem e trabalham juntos  (os produtores do mesmo produto), mas de diferentes países do continente. Estes espaços permitem a troca de experiências entre os produtores do mesmo produto e, também, a construção de estratégias e planos de trabalho conjunto a nível continental. Atualmente, a CLAC tem várias redes existentes e que têm vários anos de trabalho: a Rede de Café, a Rede de Mel, a Rede de Banana, a Rede de Cacau e a Rede de Açúcar; e também com outras redes que estão dando seus primeiros passos, como a Rede de Quínoa e a Red de Frutas Frescas e Sucos.

Algumas das principais atividades das Redes de Produto são:

      • Realizar pelo menos uma Reunião a cada dois anos.
      • Coletar e sistematizar a informação que vem dos coordenadores nacionais em relação a produtos específicos.
      • Identificar os produtores e a quantidade de produto disponível para licitar/oferecer/promover na América Latina e no Caribe.
      • Desenvolver estratégias de acesso ao mercado internacional para cada um dos produtos das Organizações de Pequenos Produtores (OPP).
      • Divulgar informações atualizadas, apoiadas pelos coordenadores (onde existem estas ou instâncias que desempenhem este papel), sobre os padrões do mercado internacional de cada produto específico.
      • Articular e/ou apoiar atividades relacionadas com projetos específicos do produto com os Coordenadores.
      • Organizar  oferta e procura de produtos, com vista a maximizar o volume de vendas de OPP.
      • Organizar e participar de feiras de produtos específicos, para promover os produtos da OPP.
      • Promover o produto de várias maneiras, aludindo a cada país de origem.
      • Submeter documentos que comprovem custos de produto e análise de custos em geral, que servem como entrada para apresentar propostas para a fixação do preço mínimo.